top of page

Kateryna Avdysh e o jazz contemporâneo ucraniano e de fusão

Atualizado: 16 de abr.


Cantora de fazz contemporâneo e de fusão Kateryna Avdysh

Por Fernando Santos em 02/10/2023 *


Lisboa - ÀVDYSH não é apenas um projecto de jazz contemporâneo ucraniano e de fusão, é uma expressão artística da cantora Kateryna Avdysh. Através deste projecto, Avdysh procura dar atenção à música moderna de qualidade, à língua e cultura ucraniana, e retratar a Ucrânia como um país forte e independente.


O repertório principal contém músicas próprias e arranjos de canções ucranianas. Cada composição mostra-nos a sua história especial – própria ou criada e influenciada por diferentes personalidades.


Na sua música, Kateryna une a liberdade do jazz à profundidade dos motivos ucranianos, criando uma visão do mundo sob a forma de arte contemporânea. Este projecto a solo tem como principais géneros musicais o jazz contemporâneo e de fusão.


Aos 19 anos, Kateryna iniciou o seu próprio projecto musical, reunindo os melhores músicos de Kyiv e actuando no Caribbean Club Concert Hall, uma das salas de jazz mais prestigiadas de Kyiv. Avdysh já se apresentou em várias cidades ucranianas como Kyiv, Lviv, Dnipro, Rivne, bem como em Itália e Polónia como solista de Big Band.


Antes da guerra na Ucrânia, Avdysh estava a trabalhar no seu álbum de estreia. Apesar dos desafios, o seu sonho e objectivo principal mantêm-se: partilhar a música que cria com o mundo, falar sobre a Ucrânia e mostrar a força e independência do povo ucraniano.


Actualmente, Kateryna reside em Lisboa, prosseguindo a sua missão artística. O seu ponto de partida foi uma colaboração inesperada com Salvador Sobral e André Santos. Ela tem-se apresentado ao vivo, a solo e ao piano, e também em colaboração com alguns dos melhores músicos portugueses da cena jazz nacional.

O jazz contemporâneo ucraniano e de fusão de Kateryna Avdysh está próximo do coração do público, incorporando as suas raízes ucranianas nas suas composições para criar arte contemporânea que todos possam apreciar. Como ela própria diz, "todos encontrarão algo na minha música com o qual se identificarão. O jazz é o único planeta onde as suas emoções podem correr livremente."


A entrevista com Kateryna, realizada por Fernando Santos (FS), permite-nos conhecer um pouco mais sobre esta jovem promessa para o mundo da música.


FS: Como foi o teu percurso até descobrires a tua paixão pela música e começares a tua carreira artística?


Kateryna Avdysh: Quando tinha 5 anos, comecei a aprender a tocar piano. Após o meu primeiro concurso, quando era uma pequena menina a tocar um enorme piano de cauda, disse para mim mesma – “eu quero ser música”. Os anos passaram e tive muitos concertos como pianista, seguidos pela concretização do sonho de estudar na Glier Music Academy (a melhor Escola Secundária de música da Ucrânia). Quando estava a estudar na escola de música, era obrigatório frequentar o coro para melhorar o ouvido musical, por isso aos 9 anos ingressei no mesmo. O professor viu o meu talento e convidou-me para solista do coro de adultos. A partir desse momento todos começaram a dizer, a mim e aos meus pais: "Tens de cantar, o teu tom de voz é tão jazzístico, por favor vai e estuda". Eu não compreendia e não gostava de música jazz, mas decidi estudar sozinha, mas musica pop. Quando tinha 13 anos, decidi mudar completamente a minha orientação musical. Fui para a escola de jazz e depois para a academia de música. Tive vários projetos, há um ano decidi começar o meu projeto AVDYSH porque tinha as músicas que escrevi e queria compartilhar com as pessoas.


FS: Quem foram as tuas maiores inspirações no início da tua carreira?


Kateryna Avdysh: Não tive necessariamente ídolos específicos. No entanto, sempre que via cantoras a actuar na televisão, imaginava-me naquele grande palco.


FS: E atualmente?


Kateryna Avdysh: Tenho alguns artistas que me inspiram. Por exemplo, gosto de ouvir a maravilhosa Cécile McLorin Salvant, a alma dela canta de uma forma muito especial. Também o Tigran Hamasyan. A música dele é terna, mas ao mesmo tempo poderosa, melódica e às vezes amarga, está a mostrar a verdade deste mundo. Sobre os musicos ucranianos - tenho orgulho dos representantes da nossa música jazz. Um deles é, portanto, Yakiv Tsvetinskiy. Fiquei surpresa ao ouvir histórias de quando os meus amigos aqui conheciam os nossos instrumentistas e respeitavam-os. Estou grata por os nossos artistas espalharem a palavra sobre a nossa cultura. Espero tornar-me aquela que as pessoas falarão como a cantora, que representa a Ucrânia e apresenta a sua cultura ao mundo. Sobre o palco português - gosto muito dos jovens músicos, como Manuel Oliveira, Hugo Lobo, Tomás Marques e mais. Acho que é importante apoiar o jazz aqui, motivar os músicos, preocupamo-nos com eles e dar oportunidades para que mostrem a sua arte.


FS: Quais foram os desafios mais significativos como artista?


Kateryna Avdysh: A minha mudança para Portugal, que foi inesperada. Devo dizer que este país me acolheu quando não conseguia sequer imaginar que chegaria aqui. Fugi da guerra no meu país. Quando me estava a mudar para Lisboa, nem sequer tinha um lugar certo para ficar, mas a vida sorriu-me. Encontrei o meu povo, o meu espaço e comecei a criar. Foi difícil começar porque eu não via sentido na minha música e na minha vida. 


FS: Quando e onde sentiste pela primeira vez um reconhecimento significativo do teu trabalho?


Kateryna Avdysh: Acho que na Ucrânia, quando eu comecei o meu projeto. Este dia foi um sucesso. Aqui, em Portugal, a minha primeira conquista foi a cantar com o Salvador Sobral na Altice Arena. Os meus pais sentiram orgulho de mim, eles ficaram gratos e muito felizes.


FS: Que momentos da tua carreira te dão mais orgulho?


Kateryna Avdysh: O meu projeto AVDYSH é o meu primeiro bebé. Eu escrevo todas as canções, faço a gestão e produção deste projeto. Se falamos sobre as performances - tenho algumas: com o teatro de broadway na Ucrânia (Rivne), com a minha banda nova em Kyiv no palco de espaço muito prestigiado, com o Salvador Sobral no CCB (inesperado) e Altice Arena, só cantar e tocar o piano e com orquestra no palco de Dragão Arena (Porto) e no lugar lendário em Barcelona Jamboree Jazz. 


FS: Há alguma curiosidade pessoal que possas partilhar connosco?


Kateryna Avdysh: O facto interessante é sobre a minha idade. É estranho e engraçado de ver as reações das pessoas que descobrem a minha idade. Tinha muita experiência, histórias interessantes e uma maneira de falar sobre as coisas que não combina com os meus 20 anos. 


FS: Quais são os teus passatempos fora da música?


Kateryna Avdysh: Fora da música, o pole dance é o meu passatempo. É uma actividade que ajuda-me a manter a forma física e dá-me confiança.


FS: Quais são os teus planos futuros para a tua carreira musical?


Kateryna Avdysh: Este ano vai ser importante para mim. Eu tenho os demos de meu primeiro álbum que quero lançar em breve. Depois disto quero ter muitos concertos. O meu objetivo é cantar as minhas canções no palco CCB e Casa da Música (Porto), e também ter algumas colaborações com as artistas do mundo.


FS: Como é a tua relação com o público?


Kateryna Avdysh: Eu amo o meu público. Não sou apenas uma cantora que gosta de cantar e estar no palco. Cada concerto é uma história que conto. Vivo cada momento no palco e canto como se fosse a última vez. 


FS: Podes dar-nos um "cheirinho" do que esperar do teu novo álbum?


Kateryna Avdysh: As canções deste álbum foram escritas nos últimos dois anos e reflectem as mudanças pelas quais passei. Eu tive situações diferentes, então a minha música estava a mudar comigo. Agora sinto vontade de deixar o meu pássaro voar e espero receber o apoio do meu público, do país onde moro agora, porque é muito importante para mim. No meu álbum falo sobre a casa, que está dentro da nossa alma. Falo da minha dor, da força, da importância de permitir-se ser vulnerável. Também sobre ser feliz quando tudo ao seu redor diz-te: “desiste”. Este álbum será um trabalho importante para mim. Vou mostrar-me de uma maneira diferente e apresentar-me como uma pessoa e artista forte. Espero que as pessoas se identifiquem com as minhas letras e que encontrem nelas algum conforto.


FS: O que te inspira a escrever as tuas letras?


Kateryna Avdysh: Tudo o que me rodeia pode ser uma fonte de inspiração. As letras das minhas canções são normalmente baseadas nas minhas experiências pessoais, nas minhas reflexões sobre a vida e nas minhas observações do mundo.


FS: Há alguma mensagem que gostarias de deixar para os jovens músicos que estão a começar a sua carreira?


Kateryna Avdysh: Acreditem em vocês mesmos e na vossa arte. Nunca deixem de trabalhar para alcançar os vossos sonhos. A estrada pode ser difícil e tortuosa, mas é importante manter o foco no vosso objectivo e dar sempre o vosso melhor. E, acima de tudo, divirtam-se no processo. A música é uma forma maravilhosa de expressão e deve sempre trazer-vos alegria.


FS: Obrigado pela entrevista, Kateryna. Estamos ansiosos para ouvir o teu álbum!


Kateryna Avdysh: Eu é que agradeço. Até breve!


*Entrevista à cantora publicada originalmente em www.proart.art


Veja abaixo um dos vídeos gravados pela artista:



Poderá encontrar mais informações sobre Kateryna Avdysh em:




0 visualização0 comentário

Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Commenting has been turned off.
bottom of page